Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f

Programa do Internato 5° e 6° na disciplina de pediatria

Atualizado em 05/09/16 23:58.

PROGRAMA DO INTERNATO DE PEDIATRIA

EMENTA:

Integração da Universidade com a Rede de Saúde em ação conjunta interdisciplinar. Ensino voltado à formação holística, visando um melhor atendimento nas várias etapas do desenvolvimento desde a fase neonatal à adolescência. Levar ao conhecimento do aluno os programas de educação em saúde do Ministério da Saúde.

  1.         Objetivo geral:

Capacitar o aluno para a atenção à saúde da criança e adolescente pautada no importante princípio da integralidade e da ética, respeitando-se os diferentes ciclos de vida que permeiam o período do nascimento ao final da adolescência;contribuir para a formação de profissionais capazes de atuar em equipes interdisciplinares com mudança do foco assistencial e hospitalar para o da promoção da saúde, através de ações educativas, com foco na prevenção das doenças e na preocupação com a qualidade de vida de crianças e adolescentes.

Específicos:

O estágio em pediatria tem por objetivos específicos capacitar o aluno a:

  1.          Reconhecer a criança como ser uno, devendo sempre ser vista de maneira global, do ponto de vista biopsicossocial;
  2.          Conhecer as práticas de educação à saúde, ações de prevenção e promoção á saúde da criança e adolescente;
  3.         Realizar adequada observação clínica da criança com anamnese e exame físico detalhado com a elaboração de hipóteses diagnósticas e condutas através de um raciocínio clínico coerente;
  4.         Diagnosticar e tratar de forma objetiva os problemas comuns do ambulatório de pediatria;
  5.          Reconhecer e conduzir com prontidão as principais urgências e emergências no período da infância e adolescência;
  6.         Realizar adequada assistência ao recém-nascido na sala de parto;
  7.          Acompanhar o RN em alojamento conjunto e estar apto para identificar e interferir em situações que possam dificultar o aleitamento materno exclusivo;
  8.         Estar apto a atender a criança e ao adolescente com doenças crônicas em situações rotineiras e reconhecer o momento de encaminhamento ao especialista;
  9.         Conhecer e aplicar as ações preconizadas pelo Programa de Assistência Integral à Saúde da Criança do Ministério da Saúde;
  10.      Desenvolver atitudes adequadas de relacionamento médico-paciente-família, levando em consideração os princípios da Ética médica;
  11.      Promover a valorização dos diversos aspectos da Saúde Mental da criança adolescente e seu núcleo familiar;
  12.      Promover o direito da criança e do adolescente à cidadania e conhecer os princípios que regem o estatuto da criança e do adolescente;
  13.       Ter capacidade reflexiva e crítica para a busca constante do conhecimento.

 

METODOLOGIA:

 

O desenvolvimento das atividades pedagógicas é realizado pelo corpo docente utilizando-se diferentes métodos; a importância das metodologias ativas tem sido enfatizada;

*Leitura e discussão crítica de artigos científicos de diversos periódicos estimulando a iniciação científica.

*Utilização da problematização como metodologia ou estratégia de discussão.

Aulas ministradas por professores convidados em alguns temas propostos, com metodologia dinâmica e participativa;

Seminários desenvolvidos pelos alunos com aplicação de pré e pós testes;

Discussão de casos clínicos na forma de sessão clínica com participação de todo o departamento de pediatria;

Evolução e discussão de casos de pacientes internados em enfermarias;

Discussão de casos ambulatoriais de puericultura e pediatria geral no próprio ambulatório;

Discussão de casos atendidos em serviços de pronto atendimento ou emergências.

 

 
 
PROGRAMAÇÃO TEÓRICO-PRÁTICO
INTERNATO I – 5
 
Duração: 4 semanas

Locais: Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia; Maternidade Dona Iris; Hospital das Clínicas da UFG        

Responsáveis (Departamento de pediatria)

                          Eliane Terezinha Afonso; Sebastião Leite Pinto

Objetivos: (i) capacitar o estudante de medicina para a Atenção integral a saúde da criança e adolescente desde a neonatologia a adolescência.  (ii) desenvolver uma atuação clínica pautada nos princípios da “Clínica ampliada”. Contribuir para a formação de profissionais dotados de um saber crítico, sensíveis e atentos as necessidades da população.

Programação proposta e cenários de prática

HOSPITAL E MATERNIDADE DONA ÍRIS (HMDI)

ALOJAMENTO CONJUNTO (ALCON) /PLANTÃO ASSIST. AO RN EM SALA DE PARTO

 

Segunda

Terça

Quarta

Quinta

Sexta

Sábado

domingo

7h às 11h

(ALCON)

A1/A2

A1/A2

A1/A2

A1/A2

A1/A2

(*)

LIVRE

LIVRE

7h às 19h

(PLANTÃO)

A1

A2

A1

A2

LIVRE

LIVRE

LIVRE

                             (*) 7H ÀS 8H: ATIVIDADE TEÓRICA PARA A1 – A4

AMBULATÓRIO ACOMPANHAMENTO RN EGRESSO DE UTIN/UCINCO/UCINCA

 

Segunda

Terça

Quarta

Quinta

Sexta

Sábado

domingo

7h às 11h

A3/A4

A3/A4

A3/A4

A3/A4

A3/A4(*)

LIVRE

LIVRE

                                 (*)7H ÀS 8H: ATIVIDADE TEÓRICA PARA A1 – A4

HOSPITAL DAS CLÍNICAS (HC)

AMBULATÓRIO DE PEDIATRIA GERAL

 

Segunda*

Terça

Quarta*

Quinta

Sexta¨**

Sábado

domingo

13H ÀS 17H

A3/A4

LIVRE

A3/A4

LIVRE

A3/A4

LIVRE

LIVRE

*Ambulatório professora Eliane ás 15 h; ** Ambulatório professora Eliane ás 13 h.

 

SERUPE

 

Segunda*

Terça

Quarta*

Quinta

Sexta**

Sábado

domingo

7h às 11h    ENF SERUPE

A5 – A8

A5 – A8

A5 – A8

A5 – A8

A5 – A8

LIVRE

LIVRE

7h às 19h (PLANTÃO)

A5

A6

A7

A8

LIVRE

LIVRE

LIVRE

 

(*) 13.00 ás 15:00 hs Atividade teórica para A5-A8: professora Eliane HC/UFG 

(**) 15 às 17 hs: Atividade teórica para A5-A8: professora Eliane HC/UFG

 

Temas para discussão no HC: 1- Crescimento na infância e adolescência; desenvolvimento na infância; ITU; Pneumonia adquirida na comunidade; Asma. Diarréia aguda, TRO, hidratação venosa. Dengue na infância; Anemias carenciais.

Abordagem teórico-prática:Os temas serão abordados no decorrer do atendimento, na discussão de casos clínicos selecionados pelo aluno e através da leitura de artigos e seminários.

DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES:

  1.         ALOJAMENTO CONJUNTO (ALCON) /PLANTÃO ASSIST. AO RN EM SALA DE PARTO:
  •           Evolução diária de RN em alojamento conjunto, orientado por Preceptor (Pediatra diarista), com os seguintes objetivos: fixar exame físico do RN; distinguir evolução fisiológica e patológica do RN;
  •           Plantão de Assistência ao RN em sala de parto: observar atuação de profissional de saúde (de forma especial o médico) capacitado para a assistência ao RN em sala de parto; identificar RN que necessita de manobras de reanimação; aprender quais ítens são obrigatórios para adequada assistência ao RN em sala de parto.

 

  1.         AMBULATÓRIO ACOMPANHAMENTO RN EGRESSO DE UTIN/UCINCO/UCINCA:
  •           Auxiliar Preceptor no atendimento e atender os RN agendados no ambulatório de puericultura da maternidade, os quais são egressos da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatais Convencional (UCINCO) e da Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (UCINCA).

 

  1.         AMBULATÓRIO DE PEDIATRIA GERAL (HC/FM/UFG):
  •           Atender crianças e adolescentes agendados para acompanhamento de puericultura, ou encaminhadas para diagnóstico, investigação clínica e tratamento.

 

  1.         SERUPE:
  •           Atender crianças e adolescentes de demanda espontânea, ou referenciadas para a urgência de pediatria do Hospital das Clínicas da UFG (SERUPE).

CONSIDERAÇÕES:

  •           As atividades teóricas ficam a cargo dos Professores do Departamento de Pediatria da FM/UFG Sebastião Leite Pinto e Eliane Terezinha Afonso;
  •           As atividades de ALCON, Plantão e ambulatório no HMDI são preceptora das por médico pediatra da maternidade;
  •           As atividades de Ambulatório no HC/UFG são acompanhadas pela Profa. Eliane Terezinha Afonso do Departamento de Pediatria da FM/UFG;
  •           As atividades de Enfermaria do SERUPE ficam sob supervisão da Profa. Do Depto. De Pediatria Maria Selma. Os plantões no SERUPE ficam sob a preceptoria do médico plantonista do dia.

 

Observação: Sessão clínica de pediatria na última quarta feira do mês às 13:30h (Faculdade de Medicina).

 Referências Bibliográficas:  

1.Tratado de Pediatria - Sociedade Brasileira de Pediatria. Ed Manole

2. Avaliações e cuidados primários da criança e do adolescente. Artmed  – Maria Conceição O. Costa / Ronald R.de Souza.

3. Medicina do adolescente. Verônica Coates / Leucimar Fragoso.Sarvier.

4. Pediatria Clínica da América do Norte.

5. Pediatria Básica – Marcondes.

6. Pediatria Ambulatorial – Enio Leão.

7. Jornal de Pediatria . Soc. Bras. Ped. (www.sbp.com.br).

8. Pediatria Urgências + emergências ,Jayme. Murahovschi. Ed Sarvier

9. Diagnóstico diferencial em Pediatria. César Pernetta.

10. PRONAP. Soc. Bras. Ped.

11. Pediatria em Consultório - Coordenadora: Ana Cecília Silveira Lins Sucupira – Sarvier.

12. Black Book – Pediatria /Reynaldo Gomes de Oliveira (Manual de Referências de Pediatria. 3ª Edição, 2005.

13. Ministério da Saúde: Cadernos de Atenção Básica: saúde da criança: crescimento e desenvolvimento  in : http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/cadernos_ab/caderno_33.pdf

14. Portaria interministerial n° 2.101 de novembro de 2005 do Ministério da saúde e Ministério da educação. “Programa Nacional de Reorientação da formação Profissional em Saúde (Pró – Saúde)”.

15. Ministério da Saúde: Política Nacional de promoção da saúde: série B textos básicos em saúde – ano de 2006.

Listar Todas Voltar